Versatilidade em espaço para gravações

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Yasmin Assagra

Poucas peças e itens simples permitem que os ambientes cenográficos sejam modificados; facilidade proporciona criação de novos layouts.

Assim como em todos os ambientes corporativos, os estúdios para gravação de programas ou vídeos, no geral, também precisam de um olhar mais detalhado quando o assunto é transformação, principalmente se, além das gravações, o local pode funcionar como espaço para reuniões, lives ou encontros empresariais.

Diante disso, a arquiteta Rose Chaves comenta que, como ideia, os estúdios devem apresentar poucos móveis, justamente para trabalhar com ambientes que possam ser modificados, o que inclui poltronas para entrevistados e apresentadores, equipamentos de filmagens e até espaços para o coffee break. “O objetivo é trabalhar com a versatilidade. Nada engessado”, completa. Ela lembra que o mundo ainda está sob a ameaça do novo coronavírus e, com auxílio dos móveis “soltos” nesses espaços, é possível contribuir para o distanciamento físico, de modo a garantir a segurança de todos os envolvidos.

A profissional comandou o projeto de reforma do ‘lounge’ da DGABC TV, serviço que também incluiu mudanças no próprio estúdio. Rose iniciou a transformação de todo o espaço pela adaptação nas cores, seguido da escolha dos móveis, conforme a Dia-a-Dia Revista acompanhou durante os últimos meses.

“No estúdio ainda colocamos tecidos escuros para forrar as paredes, lembrando da importância de ter um espaço que fosse aconchegante e acolhedor”, declara Rose.

Tanto no ‘lounge’ quanto no estúdio a arquiteta ressaltou que o ambiente também pode ter outros fins, e que todo layout permitiu mudanças que ficassem confortáveis no lugar. “Queríamos espaços integrados e com diferentes funcionalidades. Sem rótulos”, avalia Rose.

Na reportagem da Dia-a-Dia de junho, Rose observou que os móveis valorizam o local, principalmente porque complementam o projeto desenvolvido para aquele determinado espaço. Atualmente, os mobiliários ‘soltos’, como as cadeiras e poltronas, oferecem opções atuais para ambientes corporativos, até porque, as peças acabam sendo multifuncionais e adaptáveis.

“Além da praticidade, os móveis precisam ser pensados juntamente com as cores, textura e todo design que compõem o ambiente da empresa”, acrescentou Rose.

Para a reforma do ‘lounge’ no Diário, Rose contou com os parceiros do Estúdio 483, Prime Revest, Bueno Arquitetura Cenográfica e Lar Deco.

Na próxima edição da Dia-a-Dia Revista o assunto será a iluminação em ambientes corporativos.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2021. Todos os direitos reservados