Morre o artista gráfico Cafi, autor de 300 capas de discos

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Estadão

O fotógrafo pernambucano Cafi morreu na virada do ano, aos 68 anos, em consequência de um infarto, enquanto se comemorava a chegada de 2019, na praia do Arpoador, no Rio.

Cafi, cujo nome verdadeiro era Carlos da Silva Assunção Filho, nasceu no Recife e assinou várias capas de discos de conhecidos cantores brasileiros, entre eles Milton Nascimento, como Minas e Clube da Esquina (no último, destacam-se as imagens de dois meninos, um negro e um branco). Filho de uma tradicional família pernambucana, ele conheceu o músico mineiro e seus parceiros (Ronaldo Bastos) em 1968.

Com Ronaldo Bastos, Cafi fundou o grupo Nuvem Cigana nos anos 1970 e foi muito atuante como artista gráfico, tendo assinado mais de três centenas de capas para discos de músicos brasileiros e estrangeiros.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2019. Todos os direitos reservados