Vida de reviravoltas

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Caroline Manchini

A pele branca, os olhos negros, que combinam com os cabelos, o jeito carismático e a interpretação doce e verdadeira de Vitória Longaray Strada, 22 anos, conquistaram, em curto período de tempo, a admiração do público e dos diretores novelescos da Rede Globo. Depois de sua primeira aparição na TV, em 2017, quando integrou o elenco na série Werner e os Mortos, de Tiago Rezende e Gabriel Faccini, a gaúcha, natural de Porto Alegre, foi chamada pela emissora para interpretar a protagonista Maria Vitória Torres Correia Guedes, filha de José Augusto, personagem interpretado por Tony Ramos, em Tempo de Amar, folhetim escrito por Alcides Nogueira em parceria com Bia Corrêa do Lago. A notoriedade do trabalho e a aceitação dos telespectadores garantiram seu segundo trabalho como personagem principal. Desta vez, Vitória faz Cristina Valência em Espelho da Vida, de Elizabeth Jhin. A novela, que ocupa o horário das 18h e tem temática espírita, se passa em Rosa Branca, cidade fictícia de Minas Gerais. Algumas gravações foram feitas em cidades históricas do Estado, como Tiradentes, Carrancas, Ouro Preto e Mariana. A atriz, que nunca havia vi-sitado Tiradentes, elogiou a hospitalidade dos moradores do local. “Além de ser um amor de cidade, fomos muito bem recebidos.”

Para viver a história de Cris, Vitória, além de mudar o visual – deixou o cabelo mais curto e iluminou um pouco a parte interna dos fios –, enfrentou 'grande desafio' e teve de se desdobrar em três, já que na trama a personagem, que é jovem atriz de teatro, passa por três encarnações de uma mesma vida. Para isso, viaja por meio de um portal, entre passado e futuro, e visita os tempos atuais e a década de 1930. Depois de ser escolhida pelo diretor e namorado Alain Dutra (João Vicente de Castro) para protagonizar um filme, ela acaba descobrindo que Julia Castelo, personagem que interpretará, é, na verdade, sua vida passada. Portanto, além de fazer os dois papéis, a atriz tem de viver Cris interpretando Julia no longa. “Eu não poderia estar mais feliz com essa oportunidade, ainda mais com uma personagem tão bem escrita em uma história tão rica. A Cris é uma mulher forte, independente e artística. Fizemos uma preparação com o próprio diretor Pedro Vasconcelos, e por meio da leitura dos textos fomos compondo essa atriz, que é surpreendida com tantas experiências novas.”

Parece que, assim como na novela, Vitória também foi pega de surpresa. A princípio Isis Valverde é quem estava escalada para protagonizar a trama, mas acabou não aceitando por conta de sua gravidez. Vitória entrou para substituí-la e está vivendo seu grande sonho pela segunda vez. “Acredito que as coisas acontecem como têm que acontecer. Meu desejo agora é continuar tendo oportunidades como essa para seguir me dedicando à profissão que tanto amo.”

Profissão essa que acabou de começar. Apesar da pouca experiência, a artista prova, a cada cena, interpretada com brilho nos olhos, que seu talento não tem limites. Tanto é que, em 2017, ano de sua estreia na Globo, foi indicada aos prêmios Melhores do Ano e Contigo! On-line na categoria de atriz revelação. Não foi vencedora em ambos, mas, com sua meteórica popularização entre o público assíduo das novelas brasileiras – já são mais de 550 mil fãs no Instagram e 12 mil no Facebook –, tudo indica que poderá conquistar os troféus nos próximos anos.

Sua fama repentina ultrapassou a fronteira da televisão e o rosto de Vitória já estampou grandes revistas, como Donna, Corpo a Corpo e Mensch. No entanto, ela confessa que essa popularidade nunca esteve em seus planos. “Meu desejo sempre foi atuar, não ter fama em si. Mas receber o carinho do público é maravilhoso, ser acolhida é muito bom.”

Das passarelas à TV

O universo artístico sempre esteve presente em sua trajetória. Ainda muito nova decidiu se dedicar às aulas de balé e à ginástica rítmica, esporte que praticou durante oito anos. Aos 12, a jovem, que vivia no bairro Cristal, Zona Sul de Porto Alegre, deu os primeiros passos na carreira de modelo, que não demorou a deslanchar. Em 2011 já participava de campanhas, eventos, desfiles e, por conta do trabalho, mudou-se para a Europa, onde morou na Alemanha durante alguns meses. Apesar da ascensão na carreira de modelo, nunca deixou de lado os estudos – nem o desejo de atuar, que, nessa época, já havia surgido – e voltou ao Brasil para concluir o Ensino Médio.

Aqui as conquistas não pararam. Ela recebeu título de miss Ilha da Pintada e, em 2014, representou o lugar no Miss Mundo Brasil, no qual conquistou o segundo lugar. Decidida a trabalhar com moda e artes cênicas, sonho que ficou guardado nesse ínterim, Vitória formou-se no Colégio Tiradentes, da Brigada Militar, e prestou o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para estudar teatro em universidade federal. Objetivo alcançado. Ingressou na Faculdade de Artes Cênicas da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e durante o curso fez teste que lhe garantiu personagem no filme Real Beleza, de 2015 e dirigido por Jorge Furtado. Logo de cara, em seu primeiro trabalho como atriz, atuou ao lado de nomes como Adriana Esteves, Vladimir Brichta e Francisco Cuoco. “Foi um sonho que se tornou realidade. Ali eu me encontrei, aprendi com ídolos e decidi que era isso o que eu queria para a minha vida.”

O receio de Vitória e dos pais com a nova escolha, que poderia não dar certo, não foi empecilho para que ela continuasse em busca do seu grande sonho. “Apesar do medo de não saber como seria meu futuro, meus pais sempre me apoiaram. Conforme as coisas foram acontecendo e eles foram vendo minha dedicação e maturidade, não deixaram nem por um minuto de comemorar comigo”, revela a artista.

Com o boom na carreira de atriz e grande demanda de trabalho, ela precisou deixar de lado o universo da moda, mas adianta que a decisão é temporária. “Desde (a novela) Tempo de Amar eu tenho tido uma rotina muito intensa de gravações, mas sobrando tempo e tendo oportunidades eu pretendo conciliar os dois trabalhos. Acho que as carreiras de atriz e modelo podem sim caminhar juntas, uma não exclui a outra.”

Vitória diz que, no momento, seu grande foco é viver um dia de cada vez, desfrutando as conquistas. “A TV me ensinou isso. Cada hora é uma cena, um pedacinho daquela história para contar. Assim tenho vivido muito feliz, tentando ser o meu melhor todos os dias e deixar que os planos aconteçam mais naturalmente. Hoje a arte me completa e me preenche”, finaliza.

 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados