Mais forte do que nunca

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

Dona de uma das vozes mais belas do País, Iza assume novo cargo: apresentadora de televisão

Isabela Lima, 27, tem história de vida parecida com tantas outras brasileiras que sonham viver do talento algum dia. Nascida em Olaria, subúrbio carioca, mudou aos 6 anos para Natal, no Rio Grande do Norte, onde começou a cantar no coral da igreja. Os primeiros shows vieram ainda na adolescência, mas a voz de Iza ficou guardada por alguns anos. Ela se dedicou à faculdade – se formou no curso de Publicidade e Propaganda na PUC do Rio de Janeiro – e trabalhou com marketing e audiovisual. Até que, como ela mesma diz, finalmente “tomou coragem” e postou o primeiro vídeo cantando na internet. “Parecia que estava pedindo desculpa por me apresentar, de tanta vergonha que sentia”, declarou. Entre os muitos covers, fez questão de prestar homenagens para suas principais influências, como Elza Soares, Nina Simone, Donna Summer, Diana Ross, Lauryn Hill, Beyoncé, Rihanna, entre outras. “Gosto de todas pela força e pelo papel que exercem na música”, conta à Dia-a-Dia.

Gravou um vídeo cantando Hello, de Adelle, o qual enviou para as gravadoras como currículo. Desde então, Iza não parou de voar. A moça tímida deixou a cantora poderosa tomar conta da sua vida. Lançou os singles Te Pegar, Esse Brilho é Meu, Pesadão e Ginga, com os quais ganhou alguns prêmios, incluindo cantora revelação. Agora está divulgando o primeiro CD: Dona de Mim. As letras do álbum, incluindo a que dá nome ao projeto (com o trecho Sempre fiquei quieta, agora vou falar), refletem a autoestima elevada conquistada com a experiência – Iza sempre diz que não se aceitava quando mais nova – e também a representatividade e a sororidade que estão implícitas em quem ela é. “Falo muito sobre isso porque sempre fez parte da minha vivência. Sei quem sou, de onde vim e onde mereço estar. Cresci ouvindo minha mãe (que é professora de Artes) dizer que tenho que estar onde quero, que quem sabe sou eu. E agora sou a primeira apresentadora negra do canal Multishow, acho que isso já diz muito”, analisa.

Iza entrou no lugar de Anitta na apresentação do programa Música Boa Ao Vivo, com exibição sempre às terças-feiras, às 20h30. Serão 18 episódios, que vão ao ar até o mês de outubro. “Nunca tinha pensado em ser apresentadora. Ser cantora já era uma coisa muito distante para mim, apresentadora, então, nem se fala. Tem sido um grande desafio, mas me sinto encorajada desde que recebi o convite. O programa é importante para a grade da emissora, teve quatro temporadas bem- sucedidas e, por isso, tem sido um baita privilégio estar à frente dele neste ano.”

Durante a atração, Iza recebe diferentes artistas para cantarem juntos ou separados, proporcionando várias experiências diferentes ao público e aos telespectadores. “Para mim, como cantora, o que esse programa proporciona é realmente incrível. Com esse formato, tenho a possibilidade de encontrar grandes nomes, trocar ideias, experiências e aprender sempre mais. Como cada um tem agenda corrida, fica difícil acontecer encontros como esses na estrada e o programa proporciona isso para gente.” Quer saber de outra coisa que deixa a carioca muito feliz? Ver as pessoas cantando suas músicas. “É extremamente gratificante.”

Além de continuar apresentando o programa Música Boa Ao Vivo, Iza confessa estar muito ansiosa para viajar pelo Brasil apresentando o projeto Dona de Mim. “É exatamente isso o que eu quero fazer agora, mas não fico vislumbrando muito, não. Graças a Deus tenho sido pega de surpresa por grandes oportunidades que estão aparecendo para mim, então, vou vivendo um dia de cada vez, planejando as coisas na medida do possível e, claro, trabalhando muito.”




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados