Julgue menos, ame mais

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Miriam Gimenes

Está acontecendo um fenômeno, para mim, peculiar. Analisando estes dias as conversas que presenciei, as postagens nas redes sociais, os grupos de WhattsApp dos quais faço parte, percebi que todos se formaram em Direito. Sim, são todos doutores. Porque para todo e qualquer assunto há bagagem suficiente para julgar os outros ­– essa frase contém ironia. Vivemos, portanto, em um constante tribunal do juri.  

Um exemplo: foi eleito no início de maio o mais jovem presidente da França, Emmanuel Macron, com 39 anos. Ele, centrista liberal, derrotou a candidata de extrema-direita Marine Le Pen no segundo turno com 65% dos votos e também foi o primeiro, desde 1958, fora dos ditos partidos principais: Socialista e Repu­bli­ca­no. Um feito histórico, diga-se.

Mas uma das principais notícias difundidas um dia após sua eleição foi a diferença de idade em relação à mulher, Brigitte Macron, 24 anos mais velha. Macron se apaixonou por ela, que era sua professora, aos 15 anos de idade. Casada e mãe de dois filhos, a mulher resistiu às investidas do jovem, que foi até transferido de escola pelos pais para afastá-lo da professora. 

Macron jurou que os dois se casariam e conseguiu, de fato, atingir seu objetivo: em 2007 eles oficializaram a união, que perdura até hoje. Uma história de amor linda, certo? Não para os ‘juízes’ de plantão, que trataram de destacar a diferença de idade e os pormenores de uma história que só cabe aos dois, de fato. Houve até um tabloide alemão que, antes da vitória de Macron, escreveu: “Tem 24 anos a mais! Como um casal assim funciona?” Um verdadeiro absurdo.

Falo isso para remeter à reportagem especial deste mês, que mostra que toda forma de amor vale a pena, independentemente das diferenças, desde que beneficie os envolvidos (os editores do jornal alemão deveriam ler). Afinal, no dia 12 comemora-se o Dia dos Namorados, e nada melhor do que propagar este sentimento, que, além de acabar com a solidão, traz inúmeros benefícios à saúde.  

Uma outra forma de amor é mostrada na entrevista com o ator Marcos Palmeira, que ilustra a capa da edição. Apaixonado pelo meio ambiente ­– cujo dia mundial é comemorado neste mês –, ele dissemina o sentimento em cada uma das plantas que brotam em sua fazenda, a Vale das Palmeiras, em Tere­sópolis, no Rio, que resultam em alimentos orgânicos e sustentáveis.

Confira também nes­ta edição a segunda reportagem da série Especial Primeiras-Damas, que teve início com a titular do Estado, Lu Alckmin, e agora é preenchida pela primeira-dama de Santo André, Ana Carolina Barreto Serra. Mais do que ocupar um cargo, ela quer disseminar a importância da solidariedade para todo cidadão andreense. 

Aproveite também as dicas de presentes para dar ao seu amor, que também podem ser livros – confira os lançamentos em Leitura –, as novidades em decoração. Em Mãeternidade, como identificar a depressão pós-parto. Boa leitura!

Miriam Gimenes




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados