Do campo à cidade

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Soares Oliveira

 A música sertaneja vem se transformando ao longo de sua existência e percorreu enorme caminho desde quando nasceu, em 1920, como música caipira de raiz até ganhar roupagem mais pop como é conhecida atualmente. Sua história está enraizada no imaginário coletivo e, até quem não é fã do ritmo, com certeza sabe algum verso de sucesso.

Com objetivo de contar toda a trajetória e como o estilo se transformou com o passar do tempo, nasceu o Bem Sertanejo, O Musical, que traz o cantor Michel Teló no elenco, e que estreia na quinta-feira, às 22h, no Tom Brasil, em São Paulo. A temporada é só de três dias.

“Estou muito feliz. Tenho que agradecer pelo convite porque realmente ficou bonito”, declara o cantor, que também comemora sua estreia nos palcos do teatro. E, apesar do desafio, quem vê Teló atuando esquece que é sua primeira vez como ator. “Sempre gostei de assistir a musicais e, junto com a Thaís (mulher do cantor), já vi diversos mundo afora. O mais difícil para mim foi decorar os textos. Foi um desafio, mas consegui levar numa boa”, conta.

De autoria de Gustavo Gasparani, que também assina a direção, a ideia de criar o espetáculo foi inspirada no quadro de mesmo nome que foi sucesso no Fantástico, da rede Globo e que voltará a ser exibido em breve. “Retornei à minha infância na fazenda escrevendo o texto do <Bem Sertanejo. A peça conta a trajetória da música de forma poética e não cronológica. Proponho uma viagem pelos nosso Interior, resgatando assim, o sertão que existe em cada um de nós”, explica o autor.

O repertório do musical traz cerca de 56 canções que foram sucesso na voz de artistas consagrados como Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, Almir Sater, Renato Teixeira, Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano, Gustavo Lima, entre outros. A banda de Teló acompanha o elenco e toca ao vivo durante as apresentações.

O roteiro se divide em dois atos, sendo que o primeiro é totalmente rural, lírico, interiorano, entremeado por poemas de Cora Coralina, Manoel de Barros e inspirado no universo de Guimarães Rosa. Já no segundo ato, o foco é a trajetória de reconhecidos artistas caipiras, desde as primeiras apresentações, como foi se modificando com a intervenção do circo, teatro, rádio e televisão, até chegar ao universo pop da música sertaneja atual.

Outro destaque da produção é o cenário, todo inspirado na obra de Tarsila do Amaral, assinado por Gringo Cardia, cenógrafo premiado. “Pensei de imediato na artista, que sempre valorizou a cultura do Interior do Brasil de uma maneira muito plástica, colorida e moderna”, acrescentou. Após São Paulo, o espetáculo passa por Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Ribeirão Preto, no Interior do Estado. Os ingressos estão à venda no www.ingressorapido.com.br. Os valores variam de R$ 50 a R$ 160.

> Bem Sertanejo. Musical – No Tom Brasil, Rua Bragança Paulista, 1.281, na Capital. Dias 20 e 21, às 22h, e dia 23, às 20h. Ingr.: R$ 50 a R$ 160.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados