banheiro pequeno: o que fazer?

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Juliana Bontorim

Junto ao crescimento populacional, o mercado imobiliário também teve expansão de destaque nos últimos dez anos. Com isso, aumentaram os lançamentos e diminuíram as áreas disponíveis para construções nas cidades, consequentemente. O perfil do consumidor ainda tem sofrido alterações no que tange à busca do lar somando comodidade e praticidade.

Considerando essas razões, muitos têm sido os lançamentos de imóveis pequenos, que desafiam seus compradores a pensarem em projetos de decoração que ofereçam o desejado conforto. “O índice de imóveis menores elevou em média 30% no último ano”, afirma o sócio-diretor da construtora Basilar, Evandro Lombardi Carvalho Lopes. A questão vem acompanhada de outros fatores, como o número de jovens que saem de casa, a queda na quantidade de pessoas no lar e a elevação de divorciados.

Neste quebra-cabeça, com peças bem menores, existe um espaço da casa que exige atenção especial na hora da montagem: o banheiro. “Notamos que algumas pessoas ficam extremamente pensativas no que fazer quando se trata deste cômodo”, comenta a empresária andreense Cláudia Ohta, que traba­lha com a venda de utensílios para toalete e já está acostumada com as dificuldades quando o assunto é otimização do espaço. Para ela, definitivamente não são as medidas que possibilitam a criação de um projeto harmonioso. Alguns truques podem favorecer a orientação ao se deparar com esta parte mais delicada. “Dá para apostarmos em vários itens, como espelhos, cores claras, revestimentos, boxes de vidros e itens chamativos aos olhares mais aguçados”, salienta Cláudia.

O motivo de ter algo menor na residência é evidente, mas os desafios para deixá-lo mais aconchegante são os grandes vilões. Esta dificuldade foi sentida na pele por Magda Kray, que mesmo tendo um apartamento de 105 m², em São Paulo, enfrentou o dilema no quarto do filho. “Queria algo criativo com detalhes descontraídos e personalizados. A profissional de decoração auxilia muito para deixar uniforme e sem grandes investimentos”, comenta Magda, que afirma ainda que o orçamento financeiro investido ficou dentro do esperado.

A designer de interiores que atendeu a cliente paulista foi Audrea de Castro, de Santo André. Ela afirma que um dos principais cuidados é ficar atenta aos trabalhos de marcenaria. “Precisa prestar atenção se esta área está sendo harmonizada, porque, na maioria das vezes, pode desfavorecer”, comenta e acrescenta: “Menos é mais”.

Investir em gavetas e nichos com equilíbrio necessário compõe perfeitamente o primeiro passo. Além deste critério, a tecnologia pode ser grande aliada. As novas técnicas apostam em sustentabilidade e economia de água. “Temos as misturadoras termostáticas, os mixers que controlam várias fontes de água e os chuveiros operados por touchscreen. Todos estes produtos dão toque relevante para o cômodo”, completa Audrea. Uma preocupação, já que pode haver acúmulo de umidade, é a atenção com mofo, portanto é importante verificar a qualidade da tinta. “As paredes do banheiro devem ser pintadas com tinta acrílica semibrilho. Ela é mais resistente a manchas, é mais fácil de limpar e cria uma superfície resistente, o que dificulta o crescimento de danificadores”, fina­liza a especialista.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados